Práticas informacionais no Sistema Socioeducativo do estado da Bahia

Autores

  • Natalice de Jesus Sales Universidade Federal da Bahia (UFBA)
  • Ivana Aparecida Borges Lins Universidade Federal da Bahia (UFBA)

Palavras-chave:

práticas informacionais no sistema socioeducativo, Sistema Socioeducativo na Bahia, práticas informacionais para jovens privados de liberdade

Resumo

Este estudo pretende realizar uma investigação sobre as iniciativas e práticas de acesso à informação em unidades de atendimento socioeducativo na Bahia, administradas pela Fundação da Criança e do Adolescente, autarquia estadual responsável pela custódia de adolescentes e jovens em cumprimento de sentença judicial pela prática de atos infracionais. Tem por objetivo principal o mapeamento da oferta informacional destinada aos internos enquanto sentenciados e elencar os critérios de acesso e uso de recursos tecnológicos e de leitura por parte dos educadores das unidades. Para a concretização deste estudo, está sendo realizada uma pesquisa descritiva de natureza quali-quantitativa, tendo como amostra duas unidades de atendimento localizadas na cidade de Salvador; uma voltada para o atendimento de adolescentes e jovens do sexo feminino, e outra, para internos do sexo masculino. A pesquisa tem sinalizado a necessidade de maior investimento governamental em políticas públicas de incentivo à leitura nas unidades socioeducativas, bem como uma melhor equipagem dos espaços de ensino e aprendizagem que utilizam recursos de tecnologias da informação no contexto da socioeducação. A política de atendimento ao adolescente em privação de liberdade prevê que, durante o período de custódia, os internos possam desenvolver competências e habilidades que permitam o seu retorno à sociedade de forma segura e capaz de darem seguimento aos seus projetos de vida. Neste âmbito, a leitura, as práticas pedagógicas e as tecnologias da informação figuram como bases estruturais para a ressocialização e a reinserção desses indivíduos na sociedade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARAÚJO, D. B. Representação social de adolescentes em conflito com a lei na mídia. Salvador: UFBA, 2019.

CRESWELL, J. W. Research design: qualitative & quantitative approaches. California: SAGE Publications, 2009.

FUNDAÇÃO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE; SISTEMA DE INFORMAÇÃO PARA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA; SISTEMA NACIONAL DE ATENDIMENTO SOCIOEDUCATIVO. Controle de Vagas, Salvador: FUNDAC, 2023.

SILVA, A. B. (org.). Pesquisa qualitativa em estudos organizacionais: paradigmas, estratégias e métodos. São Paulo: Saraiva, 2006.

GOFFMAN, Erwing. Manicômios, prisões e conventos. São Paulo: Perspectiva, 1974.

MARTELETO, R. M. Cultura informacional: construindo o objeto informação pelo emprego dos conceitos de imaginário, instituição e campo social. Ciência da Informação, v. 24, n.1, jan./abr. 1995. Disponível em: https://revista.ibict.br/ciinf/article/view/613.

Acesso em: 25 jul.2023.

MOSCOVICI, Serge. Representações sociais: Investigações em psicologia social. Petrópolis, RJ: Vozes, 2015.

SELLTIZ, C.; WRIGHTSMAN, L. S.; COOK, S. W. Métodos de pesquisa das relações sociais. São Paulo: Herder, 1965.

Publicado

22-04-2024

Como Citar

SALES, N. J. .; LINS, I. A. B. Práticas informacionais no Sistema Socioeducativo do estado da Bahia. Revista Brasileira de Educação em Ciência da Informação, São Paulo, p. 1–11, 2024. Disponível em: https://portal.abecin.org.br/rebecin/article/view/407. Acesso em: 18 jul. 2024.