Curadoria de conteúdo na EAD

gestão da qualidade para o desenvolvimento de um modelo de referência

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24208/rebecin.v9.300

Palavras-chave:

Curadoria de conteúdo, Educação a distância, Gestão da qualidade, Indicadores de qualidade em Educação

Resumo

Ao transformar informação em conhecimento, a curadoria de conteúdo, por meio de seus diferentes atributos, já vinha se tornando peça fundamental na atuação dos profissionais da Educação a Distância (EAD), e ganhou mais espaço nos últimos dois anos devido à pandemia de Covid-19. Neste artigo, temos como objetivo refletir sobre a conexão entre os conceitos de curadoria de conteúdo e gestão da qualidade e suas contribuições para as áreas da Ciência da Informação e da Educação. Para isso, retomamos os instrumentos de avaliação do Ministério da Educação (MEC) brasileiro e nos aprofundamos na necessidade de composição de critérios e instrumentos que apoiem a referida curadoria, tendo como base indicadores de qualidade. A partir de uma discussão da literatura, recorremos à pesquisa teórica de caráter descritivo e exploratório com vistas a abordar os conceitos de qualidade, gestão da qualidade, autoria, aprendizagem e indicadores de qualidade. Nossas reflexões apontam que estar apto para ser um curador de conteúdo se tornou uma realidade da profissão docente e uma necessidade das instituições de ensino superior, e ainda que o desenvolvimento de um modelo de referência de qualidade para a curadoria de conteúdo na EAD é uma contribuição relevante para essa realidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daiana Garibaldi da Rocha, Universidade Fernando Pessoa

Doutoranda em Ciência da Informação pela Universidade Fernando Pessoa (Porto - Portugal), Mestre em Educação pela ULBRA (2014), Especialista em Gestão Educacional pela PUC-RS (2011) e Pedagoga com Habilitação em Orientação Educacional e Matérias Pedagógicas do Ensino Médio pela ULBRA (2009). Tem experiência há mais de 10 anos como professora da Educação a Distância, trabalhou também com Educação Infantil, Orientação Educacional/Profissional, Assessoria Pedagógica e Produção de Conteúdo para a EaD. Faz parte do Conselho Editorial do Portal Desafios da Educação, é membro associada da ABED e autora do livro Aprendizagem Digital: Curadoria, Metodologias e Ferramentas para o Novo Contexto Educacional. Atualmente é Gerente Acadêmica EAD na +A Educação - Unidades de Negócios SAGAH e Mais Campus. Assim como, professora convidada em Cursos de Pós-Graduação de diferentes instituições de ensino superior nas Áreas de Gestão Estratégica de Pessoas, Negócios Digitais e Educação.

Luis Manoel Borges Gouveia, Universidade Fernando Pessoa

Luis Borges Gouveia é licenciado em Gestão Industrial pela Universidade de Aveiro, Doutor em Ciência da Computação pela Universidade de Lancaster, Reino Unido, Mestre em Engenharia Electrónica e de Computadores pela Universidade do Porto e licenciado em Matemática Aplicada / Informática pela Universidade Portucalense.
Professor Catedrático da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Fernando Pessoa. Suas principais áreas de ensino são sistemas de informação, análise de sistemas, gestão da informação e transformação digital. Seus interesses de pesquisa estão relacionados a como o digital pode aprimorar a vida humana, principalmente no que se refere a questões de gestão da informação.

Referências

ABBOT, D. What is digital curation? Edinburgh: Digital Curation Centre. 2008. Disponível em: http://www.era.lib.ed.ac.uk/bitstream/1842/3362/3/Abbott%20

What%20is%20d igitl%20curation_%20_%20Digital%20Curation%20Centre.doc Acesso em: 27 mar. 2022.

ALLEY, L. R. What makes a good online course? The higher education administrator’s role in quality assurance of online learning. Converge, v. 4, n. 11, p. 52-53, 2001. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/234770624_

What_Makes_a_Good_Online_Course_The_Administrator's_Role_in_Quality_Assurance_of_Online_Learning. Acesso em: 11 out. 2021.

ARAÚJO, C. A. V.; VALENTIM, M. L. P. A ciência da informação no Brasil: mapeamento da pesquisa e cenário institucional. Bibliotecas. Anales de Investigación (Cuba), v. 15, n. 2, 232-259, 2019. Disponível em: http://hdl.handle.net/20.500.11959/brapci/112206 Acesso em: 27 mar. 2022.

ARRUDA, J. R. C. Políticas e indicadores da qualidade na educação superior. Rio de Janeiro: Dunya Qualitymark, 1997.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE MANTENEDORAS DE ENSINO SUPERIOR – ABMES. Estudos: Revista da Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior. Indicadores de qualidade da educação superior: aplicabilidade nas Modalidades Presencial e a Distância. Brasília: ABMES Editora, 2019. Disponível em: https://abmes.org.br/arquivos/publicacoes/miolo_estudos43_13052019.pdf. Acesso em: 11 out. 2021.

BATES, T. Educar na era digital: design, ensino e aprendizagem. 1. ed. Tradução João Mattar. São Paulo: Artesanato Educacional, 2017. Disponível em: http://www.abed.org.br/arquivos/Educar_na_Era_Digital.pdf. Acesso em: 11 out. 2021.

BEHAR, P. A. Modelos pedagógicos em educação a distância. In: BEHAR, P. A. (org.), Modelos pedagógicos em educação a distância. Porto Alegre: Artmed, 2009. p. 15-32.

BIELSCHOWSKY, C. E. Qualidade na educação superior a distância no Brasil: onde estamos, para onde vamos? EaD Em Foco, Rio de Janeiro, v. 8, n. 1, e709, 2018. Disponível em: https://eademfoco.cecierj.edu.br/index.php/Revista/article/view/709. Acesso em: 11 out. 2021.

BHASKAR, M. Curadoria: o poder da seleção no mundo do excesso. Trad. E. Assis. São Paulo: Edições Sesc, 2020.

BORKO, H. Information Science: What is it? American Documentation, v. 19, n. 3, p. 3-5, 1968.

BOSSU, C. Higher and distance education in Brazil: policies, practices and staff development. 2009. Tese (Doutorado em Educação) – School of Education, University of New England, Armidale, New South Wales, Austrália, 2009. Disponível em: https://rune.une.edu.au/web/bitstream/1959.11/11911/5/open/SOURCE02.pdf. Acesso em: 11 out. 2021.

BRANCO, S. O domínio público no direito autoral brasileiro: uma obra em domínio público. 1. ed. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2011.

BRANCO, S. Direito autoral e liberdade de expressão. In: SCHULER, F.; BLANCO, P. (org.). Pensadores da liberdade: em torno de um conceito. 1. ed. São Paulo: Instituto Palavra Aberta, 2014. p. 156-161. Disponível em: http://www.moscogliato.com.br/portugues/artigos/Livro%20Pensadores%20da%20Liberdade%20Vol%201.pdf. Acesso em: 11 out. 2021.

BRANCO, S. Direito à educação, novas tecnologias e limites da lei de direitos autorais. [S. l.]: CTS-FGV, 2015. Disponível em: https://egov.ufsc.br/portal/conteudo/

direito-à-educação-novas-tecnologias-e-limites-da-lei-de-direitos-autorais. Acesso em: 11 out. 2021.

BRANCO, S. Memória e esquecimento na internet. 1. ed. Porto Alegre: Arquipélago, 2017.

BRANCO, S.; BRITTO, W. O que é Creative Commons? Novos modelos de direito autoral em um mundo mais criativo. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2013. Disponível em: https://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/bitstream/handle/10438/

/O que é Creative Commons.pdf. Acesso em: 11 out. 2021.

BRASIL. Lei n. 9.610, de 19 de fevereiro de 1998. Altera, atualiza e consolida a legislação sobre direitos autorais e dá outras providências. Diário oficial da União, Brasília, DF, 20 fev. 1998. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/

l9610.htm. Acesso em: 11 out. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação a Distância. Referenciais de qualidade para educação superior a distância. Brasília: MEC, 2007. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seed/arquivos/pdf/legislacao/refead1.pdf. Acesso em: 26 out. 2021.

BUTCHER, N.; HOOSEN, S. A guide to quality in post-traditional online higher education. Dallas: Academic Partnerships, 2014. Disponível em: https://teachonline.ca/sites/default/files/pdfs/guide_quality_online_learningbooklet_v4_final.pdf. Acesso em: 11 out. 2021.

BUTCHER, N.; WILSON-STRYDOM, M. A guide to quality in online learning. Dallas: Academic Partnerships, 2013. Disponível em: https://sirjohnca.files.wordpress.com/2020/04/5bafb-guide-final.pdf. Acesso em: 11 out. 2021.

CASTELLS, M. A sociedade em rede. 7. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2003.

CASTRO, L. C.; MARQUES, C. G.; SERRA, I. M. R. S. Qualidade da educação superior a distância no Brasil: uma análise dos referenciais de qualidade do MEC. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento, São Paulo, v. 6, p. 24-32, 2020. Disponível em: https://www.nucleodoconhecimento.com.br/educacao/

qualidade-do-mec. Acesso em: 11 out. 2021.

CHAGAS, A. M. A curadoria de conteúdos digitais na prática docente e formação de publicitários no curso de comunicação social da Universidade Tiradentes. 2018. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Tiradentes, Aracaju, SE, Brasil, 2018. Disponível em: http://openrit.grupotiradentes.com:8080/xmlui/handle/set/2523. Acesso em: 27 mar. 2022.

FILATRO, A.; CAIRO, S. Produção de conteúdos educacionais. São Paulo: Saraiva, 2015.

FILIPPAKOU, O.; TAPPER, T. Quality Assurance and quality enhancement in higher education: Contested territories? Higher Education Quarterly, v. 62, n. 1-2, p. 84-100, 2008. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1111/j.1468-2273.2008.00379.x. Acesso em: 11 out. 2021.

FRANCO, M. E.; AFONSO, M. R.; LONGHI, S. M. Indicativos de qualidade na gestão da universidade: dimensões e critérios em questão. In: FRANCO, M. E. D. P.; MOROSINI, M. C. (org.). Qualidade na educação superior: dimensões e indicadores. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2011. p. 292-318. Disponível em: http://ebooks.pucrs.br/EDIPUCRS/qualidadedaeducacaosuperior4.pdf. Acesso em: 11 out. 2021.

FREITAS, J. G. Teoria e prática da Ciência da Informação. In: FREITAS, J. G. (dir.), GOUVEIA, L. B.; REGEDOR, A. B. (eds.), Ciência da Informação: Contributos para o seu estudo. Porto: Edições Universidade Fernando Pessoa, 2012. p. 9-40.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA – INEP. Sinaes. 2015. Disponível em: http://inep.gov.br/sinaes. Acesso em: 11 out. 2021.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA – INEP. Instrumento de Avaliação de cursos de graduação: Presencial e a Distância – Autorização. Brasília: INEP, 2017a. Disponível em: https://download.inep.gov.br/educacao_superior/avaliacao_cursos_graduacao/instrumentos/2017/curso_autorizacao.pdf. Acesso em: 11 out. 2021.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA – INEP. Instrumento de Avaliação de cursos de graduação: Presencial e a Distância – Reconhecimento – Renovação de Reconhecimento. Brasília: INEP, 2017b. Disponível em: https://download.inep.gov.br/educacao_superior/avaliacao_

cursos_graduacao/instrumentos/2017/curso_reconhecimento.pdf. Acesso em: 11 out. 2021.

LÉVY, P. Cibercultura. 1. ed. Tradução Carlos Irineu da Costa. São Paulo: Editora 34, 1999.

LEVY, S. Six factors to consider when planning online distance learning programs in higher education. Online Journal of Distance Learning Administration, v. 6, n. 1, p. 1-19, 2003. Disponível em: https://www.westga.edu/~distance/ojdla/spring61/

levy61.pdf. Acesso em: 11 out. 2021.

MARTINS, L. B.; ZERBANI, T. Educação a distância em instituições de ensino superior: uma revisão de pesquisas. Revista Psicologia: Organizações & Trabalho, Brasília, v. 14, n. 3, p. 271-282, 2014. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/rpot/v14n3/v14n3a03.pdf. Acesso em: 11 out. 2021.

MOORE, M.; KEARSLEY, G. Educação a distância: sistemas de aprendizagem on-line. 3. ed. Tradução Ez2 Translate. São Paulo: Cengage Learning, 2013.

MORAN, J. M. Modelos e avaliação do ensino superior à distância no Brasil. ETD - Educação Temática Digital, Campinas, v. 10, n. 2, p. 54-70, 2009. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/977. Acesso em: 11 out. 2021.

MOROSINI, M. C. et al. A qualidade da educação superior e o complexo exercício de propor indicadores. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 21, n. 64, p. 13-37, 2016. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbedu/a/4p7KDcPJTWygLP48

HTKPv7b/?lang=pt&format=pdf. Acesso em: 11 out. 2021.

NOKES, S.; KELLY, S. O guia definitivo do gerenciamento de projetos: como alcançar resultados dentro do prazo e do orçamento. 2. ed. Tradução Francisco Araújo da Costa. Porto Alegre: Bookman, 2012.

ROSA, M. J.; AMARAL, A. (eds.). Quality Assurance in Higher Education. Basingstoke: Palgrave Macmillan, 2014.

TAVARES, A. et al. Curadoria: elemento importante na construção de projetos educacionais inovadores. In: ROCHA, D. G.; OTA, M. A.; HOFFMANN, G. (orgs.). Aprendizagem digital: curadoria, metodologias e ferramentas para o novo contexto educacional. Porto Alegre: Penso, 2021. p. 61-79.

VERNADAT, F. B. Enterprise modeling and integration: Principles and applications. London: Chapman & Hall, 1996.

WERSIG, G. Information science: The study of postmodern knowledge usage. Information Processing & Management, v. 29, n. 2, p. 229-239, 1993.

YANG, Y. To ensure the quality of online education, administrators should take active roles in planning and managing online programs. Knowledge Management & E-Learning: An International Journal, v. 2, n. 4, p. 363-369, 2010. Disponível em: http://www.kmel-journal.org/ojs/index.php/online-publication/article/view/89/93. Acesso em: 11 out. 2021.

Publicado

31-12-2022

Como Citar

ROCHA, D. G. da; GOUVEIA, L. M. B. Curadoria de conteúdo na EAD: gestão da qualidade para o desenvolvimento de um modelo de referência. Revista Brasileira de Educação em Ciência da Informação, São Paulo, v. 9, 2022. DOI: 10.24208/rebecin.v9.300. Disponível em: https://portal.abecin.org.br/rebecin/article/view/300. Acesso em: 12 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos de Pesquisa