Mapeamento do conhecimento crítico para a formação do bibliotecário
pdf
html
xml

Palavras-chave

Conhecimento Crítico; Gestão do Conhecimento; Metodologia; Biblioteconomia.

Como Citar

SIMONETTI BARBALHO, C. R.; INOMATA, D. O.; FERNANDES, T. B. Mapeamento do conhecimento crítico para a formação do bibliotecário: uma abordagem metodológica. Revista Brasileira de Educação em Ciência da Informação, São Cristovão, v. 8, p. 1–26, 2021. DOI: 10.24208/rebecin.v8i.292. Disponível em: https://portal.abecin.org.br/rebecin/article/view/292. Acesso em: 3 jul. 2022.

Resumo

Apresenta a composição de uma metodologia para o mapeamento do conhecimento crítico necessário à formação do profissional bibliotecário sob o ponto de vista dos docentes e egressos do curso de Biblioteconomia da Universidade Federal do Amazonas. Tal metodologia se baseia nos preceitos da Gestão do Conhecimento adaptando suas estratégias ao ambiente acadêmico. Para isto, a metodologia foi elaborada em duas etapas, a primeira com o estudo e composição dos instrumentos aplicados aos discentes e egressos apresentando questões abertas e fechadas de múltipla escolha, levando em consideração as disciplinas e conteúdos apresentados no Projeto Pedagógico do Curso da Universidade, mas também distribuídas em eixos temáticos apontados pelos trabalhos desenvolvidos pela Associação Brasileira de Educação em Ciência da Informação. Na segunda etapa compreendeu a aplicação dos pré-testes para validação dos instrumentos e a submissão da pesquisa ao Comitê de Ética da Instituição. O resultado descreve uma metodologia capaz de estudar e identificar o conhecimento crítico, aplicado ao ambiente educacional visando contribuir para a discussão de um projeto de formação profissional que contemple este conjunto de conhecimentos necessários à formação do bibliotecário.

https://doi.org/10.24208/rebecin.v8i.292
pdf
html
xml

Referências

ABECIN. Projeto pedagógico e avaliação da graduação: referências para a renovação e ressignificação do ensino em Biblioteconomia/Ciência da Informação – 2001. São Paulo, 2001. 29p. (Documentos ABECIN, 1).

ALVES, L. et al. Identificando Características de Organizações Intensivas em Conhecimento em Universidades: Um Estudo de Caso nas Instituições do Sistema ACAFE de Santa Catarina-Brasil. In: COLOQUIO INTERNACIONAL SOBRE GESTIÓN UNIVERSITARIA EN AMÉRICA DEL SUR, 8., 2008, Asunción, Paraguay. Anais [...]. Florianópolis: INPEAU, 2008. v. 1. p. 235-249.

ASIAN PRODUCTIVITY ORGANIZATION - APO. APO knowledge management tools and techniques manual. Tokyo: APO, 2020.

BATISTA, F. F. Modelo de gestão do conhecimento para a administração pública brasileira. Rio de Janeiro: IPEA, 2012.


BRASIL. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Universidade Aberta do Brasil. Ministério da Educação. Projeto pedagógico do curso de bacharelado em Biblioteconomia na modalidade a distância. 2. ed. Brasília: Capes: Uab, 2017. 62p. Disponível em: https://www.gov.br/capes/pt-br/acesso-a-informacao/acoes-e-programas/educacao-a-distancia/uab/mais-sobre-o-sistema-uab/cursos-nacionais-do-sistema-universidade-aberta-do-brasil/bibead. Acesso em: 12 maio 2020.

CEPEDA-CARRION, I. et al. Critical processes of knowledge management: an approach toward the creation of customer value. European Research On Management And Business Economics, v. 23, n. 1, p. 1-7, Jan. 2017. DOI: http://dx.doi.org/10.1016/j.iedeen.2016.03.001.

CUGINI, A.; MICHELON, G.; PILONATO, S. Performance measurement in academic departments: the strategy map approach. Public Money & Management, v. 31, n. 4, p. 271-278, 2011.

DAVENPORT, T.; PRUSAK, L. Conhecimento empresarial. São Paulo: Publifolha, 1998.

DRUCKER, P. F. A prática da administração de empresas. São Paulo: Atlas, 1999.

ERMINE, J.-L.; BOUGHZALA, I.; TOUNKARA, T. Critical knowledge map as a decision tool for knowledge transfer actions. Electronic Journal of Knowledge Management, v. 4, n. 2, p. 129-140, 2006.

JURADO, G. R. R. Construcción de mapas de conocimiento en las universidades. Revista institucional UPB, v. 53, n. 153, p. 65-78, 2013.
GARCIA, C. L. S.; VALENTIM, M. Gestão do conhecimento em universidades: uma proposta de mapeamento conceitual para o departamento de ciência da informação da universidade estadual paulista. In. SECIN – SEMINÁRIO EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 3., 2009, Londrina. Anais […]. Londrina: UEL, 2009.
GRUNDSTEIN, M.; ROSENTHAL-SABROUX, C. A Process modeling approach to identify and locate crucial knowledge. In: WORLD MULTI-CONFERENCE ON SYSTEMICS, CYBERNETICS AND, INFORMATICS, 12., 2008, Orlando, Florida. Proceedings […]. [S. l.: s. n.], 2008. p. 49-54.
HOMMERDING, N.; VERGUEIRO, W. Profissionais da informação e o mapeamento do conhecimento nas organizações: o caso da KPMG Brasil. Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, v. 2, n. 1, 2004.
HUANG, S.; CUMMINGS, J. N. When critical knowledge is most critical: centralization in knowledge-intensive teams. Small Group Research, v. 42, n. 6, p. 669-699, 2011.
INOMATA, D. O. et al. Mapeamento dos conhecimentos críticos e da produção científica do GT4 da ANCIB: um olhar prospectivo. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO - ENANCIB, 20., 2019, Florianópolis. Anais [...]. Florianópolis: UFSC, 2019.
MARTINELLI, S. G. et al. Gestão do Conhecimento científico em universidades: mapeamento dos processos de desenvolvimento de projetos. In: COLÓQUIO INTERNACIONAL SOBRE GESTÃO UNIVERSITÁRIA NA AMÉRICA DO SUL, 17., 2017, Mar del Plata, Argentina. Anais […]. Mar del Plata: UNMP; Florianópolis: UFSC, 2017.
NONAKA, I.; TOYAMA, R.; KONNO, N. SECI, Ba and leadership: a unified model of dynamic knowledge creation. Long Range Planning, v. 33, n. 1, p. 5-34, Feb. 2000.
PEREIRA, C. A; PEREIRA, N. S. P; MONTEIRO, R. P. Mapeamento conceitual do Balanced Scorecard no ensino superior. Revista Capital Científico-Eletrônica, v. 13, n. 3, p. 10-27, 2015. Disponível em: https://core.ac.uk/download/pdf/2304639
79.pdf. Acesso em: 24 set. 2021.
PEREIRA, M. et al. Gestão acadêmica e administrativa universitária empreendedora. In: COLÓQUIO INTERNACIONAL SOBRE GESTÃO UNIVERSITÁRIA NA AMÉRICA DO SUL, 11., 2011, Florianópolis. Anais [...]. Florianópolis: UFSC, 2011.
PROBST, G.; RAUB, S.; ROMHARDT, K. Gestão do conhecimento: os elementos construtivos do sucesso. Porto Alegre: Bookman, 2002.
ROWLEY, J. Is higher education ready for knowledge management? International Journal of Educational Management, v. 14, n. 7, p. 325-333, Jan. 2000.
SCHLESINGER, C. C. B. et al. Gestão do conhecimento da administração pública. Curitiba: Instituto Municipal de Administração Pública, 2008.
SOUZA, I. M. Empreendedorismo na Gestão Universitária. In: COLOQUIO INTERNACIONAL SOBRE GESTIÓN UNIVERSITARIA EN AMÉRICA DEL SUR, 8., 2008, Asunción, Paraguay. Anais [...] Florianópolis: INPEAU, 2008. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/61475/Empreendedorismo%
20na%20Gest%C3%A3o%20Universit%C3%A1ria.pdf?sequence=1. Acesso em: 05 out. 2021.

A ABECIN detém os direitos autorais dos trabalhos que publica, adotando as licenças do Creative Commons, exceto quando houver indicação específica de outros detentores de direitos autorais. Em caso de dúvidas, solicitamos consultar o Editor da REBECIN. Por meio dessa licença, o(s) autor(es) tem/têm a liberdade de compartilhar — copiar, distribuir e transmitir a obra, sob as seguintes condições:

a) atribuição — você deve creditar a obra da forma especificada pelo(s) autor(es) ou licenciante (mas não de maneira que sugira que estes concedem qualquer aval a você ou ao seu uso da obra).

b) uso não-comercial — você não pode usar esta obra para fins comerciais.

c) vedada à criação de obras derivadas — você não pode alterar, transformar ou criar em cima desta obra.

Evidencia-se que:

a) renúncia — qualquer das condições acima pode ser renunciada se obtiver permissão do titular dos direitos autorais.

b) domínio público — onde a obra ou qualquer de seus elementos estiver em domínio público sob o direito aplicável, esta condição não é, de maneira alguma, afetada pela licença.

c) outros direitos — os seguintes direitos não são, de maneira alguma, afetados pela licença:

- Limitações e exceções aos direitos autorais ou quaisquer usos livres aplicáveis;

- Os direitos morais do(s) autor(es);

- Direitos que outras pessoas podem ter sobre a obra ou sobre a utilização da obra, tais como direitos de imagem ou privacidade.

O(s) autor(es) submeteu(ram) a declaração de responsabilidade e transferência de direito autoral à REBECIN. Para tanto, faça o download do modelo da declaração acessando a URL: https://portal.abecin.org.br/rebecin/

Obs.: Após ler e assinar envie o arquivo digitalizado junto com a submissão.