A recepção dos contos de fadas por crianças cegas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24208/rebecin.v8i.258

Palavras-chave:

Deficiência Visual; Contos de Fadas; Contação de Histórias; Estética da Recepção; Livro Sensorial.

Resumo

Este apresenta uma síntese do Trabalho de Conclusão de Curso defendido em 2017 no âmbito do curso de Biblioteconomia da Universidade Estadual de Londrina. Ressalta os questionamentos que influenciaram na escolha do tema do TCC, bem como, os objetivos que nortearam o trabalho. Elenca, brevemente, recortes dos temas mais relevantes presentes no referencial teórico, como: contos de fadas; contação de histórias, Estética da Recepção e livro sensorial. Destaca, também, os desafios encontrados pelos autores durante o desenvolvimento da pesquisa, os receios que envolveram o processo de seleção do conto de Rapunzel e como ocorreu a confecção do livro sensorial, usado para a aplicação da atividade de contação de história, com uma criança com deficiência visual de uma escola pública da região norte do estado do Paraná. Por fim, conclui com sugestões a respeito da confecção de livros sensoriais para crianças com deficiência visual e as considerações acerca dos resultados obtidos ao término da pesquisa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BETTELHEIM, B. A psicanálise dos contos de fadas. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2004.

FRISON, S. Clarice Lispector e o contador de histórias: literatura, recepção e performance. 2015. 176 f. Tese (Doutorado em Letras) – Instituto de Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2015. Disponível em: https://bityli.com/h3QGs. Acesso em: 19 abr. 2021.

RAMOS, A. C. Contação de histórias: um caminho para a formação de leitores? 2011. 136 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Centro de Educação, Comunicação e Artes, Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2011. Disponível em: https://bityli.com/BObxy. Acesso em: 24 mar. 2021.

ROMANI, E. Design do livro tátil ilustrado: processo de criação centrado no leitor com deficiência visual e nas técnicas de produção gráfica da imagem e do texto. 2016. 311 f. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016. Disponível em: https://bityli.com/lK4LK. Acesso em: 10 fev. 2021.

SCHNEIDER, R. E. F.; TOROSSIAN, S. D. Contos de fadas: de sua origem à clínica contemporânea. Psicologia em Revista, Belo Horizonte, v. 15, n. 2, p. 132-148, ago. 2009. Disponível em: https://bityli.com/9KOCP. Acesso em: 17 fev. 2021.

TORRES, S. M.; TETTAMANZY, A. L. L. Contação de histórias: resgate da memória e estímulo à imaginação. Sessão aberta: revista eletrônica de crítica e teoria de literaturas, Porto Alegre, v. 4, n. 1, jan./jun. 2008. Disponível em: https://bityli.com/LpG4U. Acesso em: 17 fev. 2021.

Publicado

28-10-2021

Como Citar

SABATKE, C.; BORTOLIN, S. A recepção dos contos de fadas por crianças cegas. Revista Brasileira de Educação em Ciência da Informação, São Cristovão, v. 8, 2021. DOI: 10.24208/rebecin.v8i.258. Disponível em: https://portal.abecin.org.br/rebecin/article/view/258. Acesso em: 22 fev. 2024.