O uso da informação científica para sustentar notícias falsas e questionáveis nas mídias sociais

uma análise de postagens sobre vacinas em um grupo do Facebook

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24208/rebecin.v8i.272

Palavras-chave:

Desinformação, Notícias falsas, Análise da informação, Mídias sociais, Informação científica

Resumo

Diante do crescente uso de fontes de cunho científico para legitimar posicionamentos pseudocientíficos, esta pesquisa aborda a desinformação, os efeitos negativos causados pelas notícias falsas e sua influência na tomada de decisão. Este estudo observou critérios de qualidade da informação e alternativas para a diminuição de boatos com o objetivo de compreender o uso da informação científica nas mídias sociais como argumento para sustentar o posicionamento antivacinação e antivacina. Por meio de pesquisa qualitativa do tipo exploratória fez-se uma coleta de dados (229 postagens) do período de 1º a 30 de abril de 2018 no grupo público brasileiro denominado “O lado obscuro das vacinas” - presente na rede social Facebook – e realizou-se a identificação, classificação e análise das postagens coletadas. Além disso, analisou-se 15 postagens que utilizam argumentos científicos a fim de identificar elementos desinformantes e verificar a pertinência e coerência da fonte científica citada pelo membro do grupo. Constatou-se que a informação científica é utilizada superficialmente e se baseiam fortemente em estudos não conclusivos, muitas vezes com conteúdos relacionados ao assunto da postagem (pertinentes), mas descontextualizados (incoerentes).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

João de Melo Maricato, Universidade de Brasília

Doutor em Ciência da Informação pela Universidade de São Paulo (USP), com Estágio Pós-doutoral na Universidade de Brasília (UNB). Professor permanente do Programa de Pós-graduação em Ciência da Informação (PPGCinf/UnB).

Referências

ARAUJO, C. A. A. Correntes teóricas da ciência da informação. Ci. Inf., Brasília, v. 38, n. 3, p. 192-204, set./dez. 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ci/v38n3/v38n3a13.pdf. Acesso em: 03 abr. 2021.

BASTOS, M. T. Redes sociais digitais e o desafio da comunicação em grupos online: ética e informação no Utilidade Capixaba – ES – UP no Facebook. 2016. 139 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação e Territorialidades) – Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2016. Disponível em: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7072 Acesso em: 28 mar. 2021.

GODLEE, F.; SMITH, J.; MARCOVITCH, H. Wakefield’s article linking MMR vaccine and autism was fraudulent. BMJ, 2011. Disponível em: https://www.bmj.com/content/342/bmj.c7452. Acesso em: 23 mar. 2021.

GRUPO de pesquisa em políticas públicas para o acesso à informação (GPOPAI). 2016. Disponível em: https://www.facebook.com/pg/monitordodebatepolitico/postagem /?ref=page_internal. Acesso em 11 mar. 2017.

IFLA. Como identificar notícias falsas. Tradução Denise Cunha. [2017] Infográfico. Disponível em: https://www.ifla.org/files/assets/hq/topics/info-society/images/portuguese_-_how_to_spot_fake_news.pdf. Acesso em: 24 mar. 2021.

KALLÁS, E. O prejuízo dos boatos para a Ciência. Site Drauzio, 02 mar. 2016. Disponível em: https://drauziovarella.uol.com.br/videos/cabine/o-prejuizo-dos-boatos-para-a-ciencia-esper-kallas/. Acesso em: 30 mar. 2021.

MEHRA, M. R.; RUSCHITZKA, F.; PATEL, A. N. RETRACTED: Hydroxychloroquine or chloroquine with or without a macrolide for treatment of COVID-19: a multinational registry analysis. The Lancet, v. 395, n. 10240, p. 1820, 2020. Disponível em: https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S0140-6736%2820%2931180-6. Acesso em: 15 abr. 2021.

SAGAN, C. O mundo assombrado pelos demônios. São Paulo: Cia. das Letras, 1996.

SILVA FILHO, R. C.; SILVA, L. M.; LUCE, B. Impacto da pós-verdade em fontes de informação para a saúde. Revista brasileira de biblioteconomia e documentação – RBBD, São Paulo, v. 13, p. 271-287, 2017. Disponível em: https://rbbd.febab.org.br/rbbd/article/viewFile/892/665. Acesso em: 09 mar. 2021.

TOMAÉL, M. I. (org.). Fontes de informação na internet. Londrina: EDUEL, 2008. 184 p.

UNESCO, ABIPTI. A ciência para o século XXI: uma nova visão e uma base de ação. Brasília: UNESCO, 2003.

WAKEFIELD, A. J. et al. RETRACTED: Ileal-lymphoid-nodular hyperplasia, non-specific colitis, and pervasive developmental disorder in children. The Lancet, v. 351, n. 9103, p. 637–641, 2020. Disponível em: https://www.thelancet.com/journals/lancet/article/PIIS0140-6736(97)11096-0/fulltext. Acesso em: 10 abr. 2021.

Publicado

28-10-2021

Como Citar

ALVES RIBEIRO, J.; DE MELO MARICATO, J. O uso da informação científica para sustentar notícias falsas e questionáveis nas mídias sociais: uma análise de postagens sobre vacinas em um grupo do Facebook. Revista Brasileira de Educação em Ciência da Informação, São Cristovão, v. 8, 2021. DOI: 10.24208/rebecin.v8i.272. Disponível em: https://portal.abecin.org.br/rebecin/article/view/272. Acesso em: 25 fev. 2024.