Efetivação da open peer review frente aos editores do Portal de Periódicos da Universidade Federal da Paraíba

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24208/rebecin.v8i.252

Palavras-chave:

Avaliação aberta; Open peer review; Periódicos científicos; Comunicação científica; Ciência aberta.

Resumo

Investiga-se a aquiescência da open peer review (OPR) dentre os editores do Portal de Periódicos da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), cujos títulos operam, predominantemente, sob a égide das arbitragens cegas. São objetivos operacionais: analisar a disponibilidade da avaliação aberta pelas revistas da UFPB; avaliar o conhecimento dos avaliadores no que respeita às práticas de revisão aberta; identificar os fatores que contribuem e/ou dificultam sua adoção. De caráter descritivo e abordagem quanti-qualitativa, utiliza-se a pesquisa survey como recurso investigativo. O universo da pesquisa compreende os 70 periódicos afiliados à Universidade. Em se tratando da existência de títulos anacrônicos, selecionaram-se apenas os itens conceituados de A1 a B5 pelo sistema Qualis da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), com histórico de publicação em vigor, resultando em amostra de 46 itens. A coleta de dados ocorreu mediante envio de questionário eletrônico, em intervalos sistemáticos, aos respectivos editores, totalizando 14 (31,11%) réplicas. Dentre os resultados, prevalece o interesse em experienciar a OPR, embora, curiosamente, não tenham conhecimento sobre a OPR. No que corresponde aos contributos, ressaltam-se a interlocução entre avaliador(es) e avaliado(s) e a disponibilização de políticas de avaliação aberta. Em contrapartida, o forte apego à blind review constitui obstáculo ao novo método de avaliação científica.

Palavras-Chave: Avaliação aberta; Open peer review; Periódicos científicos; Comunicação científica; Ciência aberta.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Kleisson Lainnon Nascimento da Silva, Universidade Federal da Paraíba

Mestrando em Ciência da Informação pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação e Graduado em Biblioteconomia, ambos pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB), atuou como bolsista PIBIC no projeto intitulado: "OPEN PEER REVIEW NO CONTEXTO BRASILEIRO: análise nos periódicos de Ciência da Informação (2016-2017)", e posteriormente, na condição de voluntário (PIVIC), cuja pesquisa tem por título: "CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO EM ABERTO: perspectiva dos autores e avaliadores (2018-2019)", ambos sob orientação das professoras Dra. Joana Coeli Ribeiro Garcia e Dra. Maria das Graças Targino. Monitor e bolsista da disciplina Metodologia do Trabalho Científico (MTC) vinculada ao Departamento de Ciência da Informação (DCI) da UFPB e colaborador do blog SOS Normalização, sob orientação da Professora Dra. Patrícia Maria da Silva. Tem interesse nos seguintes eixos temáticos: Comunicação científica, Periódicos científicos, Ciência aberta, Acesso aberto, Avaliação por pares, Avaliação por pares aberta, Produção científica, Redes sociais, Normalização, Representação descritiva da informação, Preservação e Conservação de Unidades de Informação.

Joana Coeli Ribeiro Garcia, Universidade Federal da Paraíba

Professora Titular do Departamento de Ciência da Informação com atuação no Programa de Pós Graduação em Ciência da Informação, da Universidade Federal da Paraíba. Doutora em Ciência da Informação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro / Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia, com tese orientada pelo Prof. Dr. Aldo de Albuquerque Barreto. Coordenadora do Grupo de Pesquisa: Da informação e do conhecimento, cadastrado junto ao CNPq. Presidente da ANCIB, período 2009-2010. Membro do Comitê Gestor do PIBIC, até agosto de 2011. Orientadora de Iniciação Científica e do programa Jovens Talentos para a Ciência, ambos programas do CNPq e avaliadora do Programa Nacional de Pós-Doutoramento da Capes. Membro do Comitê Técnico Científico, permanente ou ad hoc, de revistas científicas nacionais. Na pós-graduação em Ciência da Informação, na UFPB atua nos seguintes eixos temáticos: Comunicação cientifica; Ciência aberta especialmente open peer review; Gestão da informação em C&T; Indicadores de C&T; Criação de Conhecimento; Política de informação; Responsabilidade social.

Maria das Graças Targino, Universidade Federal do Piauí

Doutora em Ciência da Informação, Universidade de Brasília, e jornalista, finalizou seu pós-doutorado junto ao Instituto Interuniversitario de Iberoamérica da Universidad de Salamanca (USAL) e Máster Internacional en Comunicación y Educación da Universidad Autónoma de Barcelona, ambos na Espanha. Atuou como pesquisadora junto ao referido Instituto / USAL, de março de 2010 a julho de 2011. Sua experiência acadêmica inclui, ainda, cursos em países, como Inglaterra, Cuba, México, França e Estados Unidos. Tem produzido artigos, capítulos e livros em ciência da informação e comunicação, enveredando pela literatura como cronista. Depois de vinculação com a Universidade Federal do Piauí por 25 anos, atuou como docente do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal da Paraíba por 14 anos. Dentre outras atividades atuais, é membro da Academia Teresinense de Letras e da Associação Sociedade Literária de Teresina. É membro da Comissão Editorial (permanente ou ad hoc) de diferentes periódicos nacionais e internacionais. Mantém coluna semanal de opinião em jornal de Teresina; coluna bimestral no INFOHOME, Florianópolis; contribuições sistemáticas junto à página eletrônica umacoisaeoutra, mantida pelo escritor carioca Celso Japiassu; no Portal JTNEWS, Teresina; e na página eletrônica TUAVENTURA, Espanha, na condição de corresponsale. Dentre prêmios conquistados, está o Prêmio Nacional Luiz Beltrão de Comunicação (Liderança Emergente), ano 2004; Prêmio do Programa Informação para Todos (Information for All Programme, IFPI), promovido pela UNESCO, com a edição de sua tese de doutorado: Jornalismo cidadão: informa ou deforma? ano, 2009; Título de Cidadã Teresinense, 2015; Prêmio ?Mérito Jornalístico?, Câmara Municipal de Teresina, 2019.

Referências

AMSEN, E. What is open peer review? F1000 Research Blog, Rockville, May 2014.

CALLAWAY, E. Open peer review finds more takers. Nature International Weekly Journal of Science, London, Nov. 2016.

DeCOURSEY, T. Perspective: the pros and cons of open peer review. Nature International Weekly Journal of Science, London, June 2006.

FORD, E. Defining and characterizing open peer review: a review of literature. Journal of Scholarly Publishing, Toronto, v. 44, n. 4, p. 311-326, July 2013.

GARCIA, J. C. R.; TARGINO, M. G. O futuro da open peer review na Ciência da Informação. In: ENCONTRO NACIONAL DE CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 19., 2018, Londrina. Anais [...] Londrina: UEL, 2018. p. 1-20.

GARCIA, J. C. R.; TARGINO, M. G. Open peer review sob a ótica dos editores das revistas brasileiras de Ciência da Informação. In: ENCONTRO NACIONAL DE CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 18., 2017, Marília. Anais [...] Marília: UNESP, 2017. p. 1-21.

GODLEE, F. Making reviewers visible openness, accountability, and credit. The Journal of the American Medical Association, Illinois, v. 287, n. 21, p. 2762-2765, June 2002.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Metodologia do trabalho científico: projeto de pesquisa, pesquisa bibliográfica, teses, dissertações, trabalhos de conclusão de curso. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2015.

MELERO, R.; LOPEZ-SANTOVEÑA, F. Referees’ attitudes toward open peer review and electronic transmission of papers. Sage Journals: Your Gateway to World-Class Research Journals, Thousand Oaks, v. 7, n. 6, p. 521-527, 2001.

PACKER, A. L.; SANTOS, S. Ciência aberta e o novo modus operandi de comunicar pesquisas – parte I. Blog Scielo em Perspectiva, São Paulo, ago. 2019.

PAVAN, C.; STUMPF, I. R. C. Avaliação pelos pares nas revistas de Ciência da Informação: procedimentos e percepções dos atores. Encontros Bibli: Revista Eletrônica de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Florianópolis, v. 14, n. 28, p. 72-92, 2009.

PÖSCHL, U. Multi-stage open peen review: scientific evaluation integrating the strengths of traditional peer review with the virtues of transparency and self-regulation. Frontiers in Computational Neuroscience, Rockville, v. 6, n. 33, p. 1-16, July 2012.

ROSS-HELLAUER, T. What is open peer review?: a systematic review. F1000 Research: Open for Science, Rockville, v. 6, n. 5888, p. 1-30, Oct. 2017.

ROSS-HELLAUER, T.; DEPPE, A.; SCHMIDT, B. Survey on open peer review: attitudes and experience amongst editors, authors and reviewers. Plos One, San Francisco, p. 1-28, Dec. 2017.

SCHMIDT, B. et al. Ten considerations for open peer review. F1000 Research: Open for Science, Rockville, v. 7, n. 969, p. 1-11, Oct. 2018.

SHANAHAN, D.; OLSEN, B. Opening peer review: The democracy of science. Journal of Negative Results in Biomedicine, London, v. 13, n. 2, p. 1-2, 2014.

SILVA, S. F. R. Revisão por pares e tecnologias eletrônicas: perspectivas paradigmáticas nos procedimentos da comunicação científica. 2016. 200f. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) – Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2016.

TARGINO, M. G.; GARCIA, J. C. R.; SILVA, K. L. N. Avaliadores da Ciência da Informação frente à open peer review. Revista Interamericana de Bibliotecologia, Medellín, v. 43, n. 1, p. 1-20, jan.

Publicado

28-10-2021

Como Citar

SILVA, K. L. N.; GARCIA, J. C. R. .; TARGINO, M. das G. . Efetivação da open peer review frente aos editores do Portal de Periódicos da Universidade Federal da Paraíba . Revista Brasileira de Educação em Ciência da Informação, São Cristovão, v. 8, 2021. DOI: 10.24208/rebecin.v8i.252. Disponível em: https://portal.abecin.org.br/rebecin/article/view/252. Acesso em: 22 fev. 2024.