Uso do Google Sala de Aula no ensino superior: aceitação no processo educativo
PDF

Palavras-chave

Ensino Superior
Google Sala de Aula
Tecnologias da Informação e Comunicação.

Como Citar

SIQUEIRA, T. G. de S. Uso do Google Sala de Aula no ensino superior: aceitação no processo educativo. Revista Brasileira de Educação em Ciência da Informação, São Cristovão, v. 6, n. 1, p. 54–62, 2019. Disponível em: https://portal.abecin.org.br/rebecin/article/view/142. Acesso em: 27 set. 2022.

Resumo

Aborda o uso da inclusão de ferramentas tecnológicas mediadas por computador e internet como ferramenta didática no ensino da Disciplina Tecnologias da Informação considerando a importância de relacionar teoria, prática e a otimização do tempo e envolvimento dos estudantes diante um novo cenário no ensino superior. Dessa maneira, recorreu-se a um estudo de caso, buscou-se construir um percurso de reflexão como base o seguinte objetivo de identificar a aceitação da utilização dos recursos digitais, e testar as perspectivas de acesso às informações no âmbito educacional de uma Instituições de Ensino Superior. Para que isso ocorra, são necessárias mudanças didático-pedagógicas por parte dos professores diante das novas tecnologias e informações, inserindo o estudante em um papel mais ativo em seu processo de aprendizagem. Como forma de diagnóstico, foi aplicado questionário a um grupo de estudantes da Universidade Federal do Amazonas. A partir dos dados obtidos, foi possível perceber que a maioria não faz uso desses recursos, porém demonstraram interesse em utilizá-los. Nesse sentido, a inclusão das tecnologias como recurso didático no ensino superior pode facilitar o aprendizado em determinadas situações, fazendo com que o espaço da sala de aula seja reconfigurado como um espaço para aprofundar conhecimentos e trocar experiências.
PDF

Referências

ALVES, Aglaé Cecília Toledo Porto. EaD e a formação de formadores. In: VALENTE,

J. A. & ALMEIDA, M. E. B. (Orgs.). Formação de professores a distância e integração de mídias. São Paulo: Avercamp, 2007. p.117-129.

BASTOS, João Augusto de S. L. A. Educação tecnológica: conceitos, características e perspectivas. Revista Tecnologia e Interação, Curitiba, v.1, n.1, p.21-36, 1998. Disponível em: <http://revistas.utfpr.edu.br/pb/index.php/revedutec-ct/article/view/1986/1393>. Acesso em: 10 jan. 2019.

BOETTCHER, D. A internet como dispositivo potencializador didático. In: PELLANDA, Nize; SCHLÜNZEN, ELISA TOMOE MORIYA; SCHLÜNZEN JUNIOR, KLAUS (Orgs.). Inclusão digital: tecendo redes afetivas/cognitivas. Rio de Janeiro: DP&A, 2005. p.145-161.

COELHO, Luana; PISONI, Silene. Vygotsky: sua teoria e a influência na educação. Revista E-Ped: Revista Científica do Curso de Licenciatura em Pedagogia da FACOS/CNEC, Osório, v.2, n.1, p.144-152, ago. 2012. Disponível em: http://facos.edu.br/publicacoes/revistas/e-ped/agosto_2012/pdf/vygotsky_-_sua_teoria_e_a_influencia_na_educacao.pdf. Acesso em: 10 jan. 2019.

FERREIRA, Alberto Manuel. Adequação dos materiais educativos aos estilos de aprendizagem dos alunos de cursos profissionais de informática: Relatório de estágio de mestrado em Ensino de Informática. Porto: Universidade do Minho, 2014. 109p. Disponível em: http://repositorium.sdum.uminho.pt/handle/1822/38032. Acesso em: 17 jan. 2019.

MOREIRA, M. A. Teorias de aprendizagem. São Paulo: EPU, 1999.

TECNOLOGIA. In: DICIO: Dicionário Online de Português. Porto: 7Graus, 2018. Disponível em: https://www.dicio.com.br/tecnologia/. Acesso em: 14 jan. 2019.

VEEN, Wim; VRAKKING, Bem. Homo Zappiens: educando na era digital. Porto Alegre: Artmed. 2009.

VOGES, M. S.; OLIVEIRA, K. N.; NOGUEIRA, R. E.; NASCIMENTO, R. S. Explorando o Google Earth e atlas eletrônico para o ensino de Geografia: prática em sala de aula. In: NOGUEIRA, Ruth E. (Org.). Motivações hodiernas para ensinar Geografia. Florianópolis: Nova Letra, 2009. p.67-79.

VOGT, Maria Saleti Lock; ALVES, Elioenai Dornelles. Revisão teórica sobre a educação de adultos para uma aproximação com a andragogia. Educação (UFSM), Santa Maria, p.195-214, set. 2011. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/reveducacao/article/view/3746. Acesso em: 9 jan. 2019

A ABECIN detém os direitos autorais dos trabalhos que publica, adotando as licenças do Creative Commons, exceto quando houver indicação específica de outros detentores de direitos autorais. Em caso de dúvidas, solicitamos consultar o Editor da REBECIN. Por meio dessa licença, o(s) autor(es) tem/têm a liberdade de compartilhar — copiar, distribuir e transmitir a obra, sob as seguintes condições:

a) atribuição — você deve creditar a obra da forma especificada pelo(s) autor(es) ou licenciante (mas não de maneira que sugira que estes concedem qualquer aval a você ou ao seu uso da obra).

b) uso não-comercial — você não pode usar esta obra para fins comerciais.

c) vedada à criação de obras derivadas — você não pode alterar, transformar ou criar em cima desta obra.

Evidencia-se que:

a) renúncia — qualquer das condições acima pode ser renunciada se obtiver permissão do titular dos direitos autorais.

b) domínio público — onde a obra ou qualquer de seus elementos estiver em domínio público sob o direito aplicável, esta condição não é, de maneira alguma, afetada pela licença.

c) outros direitos — os seguintes direitos não são, de maneira alguma, afetados pela licença:

- Limitações e exceções aos direitos autorais ou quaisquer usos livres aplicáveis;

- Os direitos morais do(s) autor(es);

- Direitos que outras pessoas podem ter sobre a obra ou sobre a utilização da obra, tais como direitos de imagem ou privacidade.

O(s) autor(es) submeteu(ram) a declaração de responsabilidade e transferência de direito autoral à REBECIN. Para tanto, faça o download do modelo da declaração acessando a URL: https://portal.abecin.org.br/rebecin/

Obs.: Após ler e assinar envie o arquivo digitalizado junto com a submissão.