A classificação do acervo da biblioteca particular de Mário de Andrade
pdf
html
xml

Palavras-chave

Mário de Andrade
Bibliotecas particulares
Bibliofilia
Classificação documentária
Classificação Decimal de Dewey

Como Citar

DO NASCIMENTO SANTOS, F.; VALLS, V. M. A classificação do acervo da biblioteca particular de Mário de Andrade. Revista Brasileira de Educação em Ciência da Informação, São Cristovão, v. 8, p. 1–14, 2021. DOI: 10.24208/rebecin.v8i.266. Disponível em: https://portal.abecin.org.br/rebecin/article/view/266. Acesso em: 3 jul. 2022.

Resumo

O presente artigo é baseado em uma pesquisa que descreve a classificação criada por Mário de Andrade com o intuito de organizar o acervo de sua biblioteca particular, de forma a compreender se esta classificação pode ser utilizada em outras bibliotecas particulares. Para isso, foi realizada uma revisão bibliográfica sobre a vida e a obra de Mário de Andrade, sobre os aspectos relacionados à bibliofilia e sobre a história da classificação documentária. Como metodologia, foram utilizadas as técnicas de coleta e análise de dados, com visitas a unidades informacionais e culturais, relativas ao tema de pesquisa, e entrevista com a supervisora técnica da biblioteca do IEB-USP. Com isso, obteve-se como resultado a apresentação de diversas aproximações entre a classificação criada pelo escritor e a Classificação Decimal de Dewey (CDD). Além disso, compreendeu-se que a classificação de Mário de Andrade foi pensada a partir de uma organização temática e espacial, de acordo com os interesses particulares do escritor e com a localização onde os materiais de sua coleção estavam conservados nos cômodos de sua casa. Assim, concluiu-se com esta pesquisa que é possível utilizar a classificação de Mário de Andrade em outras bibliotecas particulares, porém, adaptando-se às necessidades e particularidades de cada dono de coleção particular.

https://doi.org/10.24208/rebecin.v8i.266
pdf
html
xml

Referências

ALMEIDA, Aline Novais de. A biblioteca fantástica de Mário de Andrade. Revista Criação & Crítica, n. 9, p. 141-151, nov. 2012. Disponível em: https://doi.org/10.11606/issn.1984-1124.v5i9p140-151. Acesso em: 14 mar. 2021.

BARBOSA, Alice Príncipe. Teoria e prática dos sistemas de classificação bibliográfica. Rio de Janeiro: IBBD, 1969.

DUARTE, Paulo. Mário de Andrade por ele mesmo. 2. ed. São Paulo: Hucitec/ Prefeitura do Município de São Paulo/ Secretaria Municipal de Cultura, 1985.

FIGUEIREDO, Tatiana Longo. As primeiras fichas do modernista Mário de Andrade. Remate de Males, v. 33, n. 1-2, p. 245-254, jan./dez. 2013. Disponível em: https://doi.org/10.20396/remate.v33i1-2.8636455. Acesso em: 14 mar. 2021.

FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO. Faculdade de Biblioteconomia e Ciência da Informação: retrato de uma escola, 1940-2000. São Paulo: FESPSP, 2000.

JARDIM, Eduardo. Eu sou trezentos: Mário de Andrade: vida e obra. Rio de Janeiro: Edições de Janeiro, 2015, p. 139-149.

LENTINO, Noêmia. Guia teórico, prático e comparado dos principais sistemas de classificação bibliográfica. São Paulo: Polígono, 1971.

LOPEZ, Telê Ancona. Mário de Andrade leitor e escritor: uma abordagem de sua biblioteca e de sua marginália. Escritos, n. 5, p. 53-76, 2013. Disponível em: http://www.casaruibarbosa.gov.br/dados/DOC/revistas/Escritos_5/FCRB_Escritos_5_4_Tele_Ancona_Lopez.pdf. Acesso em: 14 mar. 2021.

SANTOS, Fernanda do Nascimento. A classificação do acervo da biblioteca particular de Mário de Andrade. 2019. 78 f. TCC (Graduação em Biblioteconomia e Ciência da Informação) - Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo, 2019 Disponível em: http://biblioteca.fespsp.org.br:8080/pergamumweb/vinculos/00000f/00000f5f.pdf. Acesso em: 10 mar. 2021.

SCHIESSL, Marcelo; SHINTAKU, Milton. Sistemas de organização do conhecimento. In: ALVARES, Lilian (org.). Organização da informação e do conhecimento: conceitos, subsídios interdisciplinares e aplicações. São Paulo: B4 Editores, 2012. p. 49-118.

A ABECIN detém os direitos autorais dos trabalhos que publica, adotando as licenças do Creative Commons, exceto quando houver indicação específica de outros detentores de direitos autorais. Em caso de dúvidas, solicitamos consultar o Editor da REBECIN. Por meio dessa licença, o(s) autor(es) tem/têm a liberdade de compartilhar — copiar, distribuir e transmitir a obra, sob as seguintes condições:

a) atribuição — você deve creditar a obra da forma especificada pelo(s) autor(es) ou licenciante (mas não de maneira que sugira que estes concedem qualquer aval a você ou ao seu uso da obra).

b) uso não-comercial — você não pode usar esta obra para fins comerciais.

c) vedada à criação de obras derivadas — você não pode alterar, transformar ou criar em cima desta obra.

Evidencia-se que:

a) renúncia — qualquer das condições acima pode ser renunciada se obtiver permissão do titular dos direitos autorais.

b) domínio público — onde a obra ou qualquer de seus elementos estiver em domínio público sob o direito aplicável, esta condição não é, de maneira alguma, afetada pela licença.

c) outros direitos — os seguintes direitos não são, de maneira alguma, afetados pela licença:

- Limitações e exceções aos direitos autorais ou quaisquer usos livres aplicáveis;

- Os direitos morais do(s) autor(es);

- Direitos que outras pessoas podem ter sobre a obra ou sobre a utilização da obra, tais como direitos de imagem ou privacidade.

O(s) autor(es) submeteu(ram) a declaração de responsabilidade e transferência de direito autoral à REBECIN. Para tanto, faça o download do modelo da declaração acessando a URL: https://portal.abecin.org.br/rebecin/

Obs.: Após ler e assinar envie o arquivo digitalizado junto com a submissão.