Preservação e conservação dos prontuários do serviço de arquivo médico e estatística do Hospital Universitário Professor Alberto Antunes
Fonte da capa: Freepik  Design: André Nunes de Azevedo
PDF

Palavras-chave

Arquivo de Instituições de Saúde. Digitalização de Prontuário. Gestão Documental. Prontuário do Paciente

Como Citar

SANTOS, M. A. V. dos; MOTA, F. R. L.; ARAUJO, N. C. de. Preservação e conservação dos prontuários do serviço de arquivo médico e estatística do Hospital Universitário Professor Alberto Antunes. Revista Brasileira de Educação em Ciência da Informação, São Cristovão, v. 7, n. 1, p. 4–23, 2020. DOI: 10.24208/rebecin.v7iespecial.184. Disponível em: https://portal.abecin.org.br/rebecin/article/view/184. Acesso em: 3 jul. 2022.

Resumo

A Gestão Documental, juntamente com medidas de preservação e conservação, minimiza tempo e espaço, agiliza a recuperação da informação e reflete diretamente no processo de tomada de decisão dos gestores de toda e qualquer instituição. Este artigo buscou estudar a gestão da informação e os mecanismos de preservação e conservação dos prontuários do Serviço de Arquivo Médico e Estatística (SAME), do Hospital Universitário Professor Alberto Antunes da Universidade Federal de Alagoas (UFAL), com vistas a salvaguardar a memória institucional. A metodologia utilizada foi exploratória, com abordagem qualitativa e uma extensa pesquisa bibliográfica. A análise dos dados aponta para: a necessidade de maiores esforços no sentido de prover infraestrutura tecnológica adequada para o processo de Gestão Eletrônica de Documentos; importante atuação de docentes e discentes do Curso de Biblioteconomia e; interesse da instituição em relação à preservação e conservação dos prontuários guardados pelo SAME/HUPAA/UFAL

https://doi.org/10.24208/rebecin.v7iespecial.184
PDF

Referências

BRASIL. Lei n 8.159, de 08 de janeiro de 1991. Diário Oficial da União, Brasília, 2004. Disponível em: http://www.arquivonacional.gov.br/conarq/leis/leg_arq.html. Acesso em: 23 out. 2018.

CAMARGO, A. M. A.; BELLOTTO, H. L. Dicionário de terminologia arquivística. São Paulo: AAB,1996.

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA. Resolução nº 1.246, de 08 de janeiro de 1988. Código de ética médica. Disponível em http://www.portalmedico.org.br/resolucoes/cfm/1988/1246_1988.htm. Acesso em: 25 ago. 2019.

CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS - CONARQ (Brasil). Câmara Técnica de documentos eletrônicos. Modelo de requisitos para sistemas informatizados de gestão arquivística de documentos - eArq. 2011. Disponível em: http://www.documentoseletronicos.arquivonacional.gov.br/media/e-arq-brasil-2011-corrigido,pdf. Acesso em: 23 out. 2018.

CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS – CONARQ (Brasil). Recomendações para Digitalização de Documentos Arquivísticos Permanentes. Rio de Janeiro, 2010. 27p. Disponível em: http://www.conarq.arquivonacional.gov.br/media/publicacoes/recomendaes_para_a_digitalizao.pdf. Acesso em: 25 ago. 2019.

CUNHA, M. B.; CAVALCANTE, C. R. O. Dicionário de Biblioteconomia e Arquivologia. Brasília: Briquet de Lemos Livros, 2008.

FONSECA, M. O. K. Arquivologia e Ciência da Informação. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2005.

FRANÇA, P. Z. P. Reestruturação do serviço de arquivo médico e estatística do centro municipal de referência em saúde Leonard Mozart da prefeitura municipal de Cabedelo. 2104. 58f. Monografia (Graduação) – Universidade Federal da Paraíba, Centro de Ciências Sociais Aplicadas, João Pessoa, 2014. Disponível em: http://www. https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/1185. Acesso em: 23 ago. 2019.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. Fundamentos de metodologia científica. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2010. 297 p.

MANUAL DE CONSERVAÇÃO DE DOCUMENTOS: papel e filme / texto Dione Seripierrin ... [et al.]. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2005.

MOTA, F. R. L. Nota técnica: descarte de documentos do HUPAA/UFAL/EBSERH. Maceió: Hospital Universitário Professor Alberto Antunes, 2018.

MOTA, F. R. L; PEREIRA, E. M. S. Tratamento e organização dos prontuários de pacientes do HUPAA/UFAL/EBSERH. Maceió: Hospital Universitário Professor Alberto Antunes, 2018.

MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 12. ed. São Paulo: Hucitec, 2010.

PAES, M. L. Arquivo: teoria e prática. 3. ed. Rio de Janeiro: FGV, 2004.

SANTOS, N. M.; FREIXO, A. L. A gestão do prontuário do paciente com ênfase na atuação da comissão de revisão de prontuários. In: SIMPÓSIO BAIANO DE ARQUIVOLOGIA, 3., 2011, Salvador. Anais[...] Salvador, 2011. p.1 - 12.

SEVERINO, A. J. Metodologia do trabalho científico. 23. ed. São Paulo: Editora Cortez, 2007.

ZÚÑIGA, S. S. G. A importância de um programa de preservação em arquivos públicos e privados. Registro: Revista do Arquivo Público Municipal de Indaiatuba, Indaiatuba, Ano 1, v. 1, n. 1, p. 71-89, 2002.

A ABECIN detém os direitos autorais dos trabalhos que publica, adotando as licenças do Creative Commons, exceto quando houver indicação específica de outros detentores de direitos autorais. Em caso de dúvidas, solicitamos consultar o Editor da REBECIN. Por meio dessa licença, o(s) autor(es) tem/têm a liberdade de compartilhar — copiar, distribuir e transmitir a obra, sob as seguintes condições:

a) atribuição — você deve creditar a obra da forma especificada pelo(s) autor(es) ou licenciante (mas não de maneira que sugira que estes concedem qualquer aval a você ou ao seu uso da obra).

b) uso não-comercial — você não pode usar esta obra para fins comerciais.

c) vedada à criação de obras derivadas — você não pode alterar, transformar ou criar em cima desta obra.

Evidencia-se que:

a) renúncia — qualquer das condições acima pode ser renunciada se obtiver permissão do titular dos direitos autorais.

b) domínio público — onde a obra ou qualquer de seus elementos estiver em domínio público sob o direito aplicável, esta condição não é, de maneira alguma, afetada pela licença.

c) outros direitos — os seguintes direitos não são, de maneira alguma, afetados pela licença:

- Limitações e exceções aos direitos autorais ou quaisquer usos livres aplicáveis;

- Os direitos morais do(s) autor(es);

- Direitos que outras pessoas podem ter sobre a obra ou sobre a utilização da obra, tais como direitos de imagem ou privacidade.

O(s) autor(es) submeteu(ram) a declaração de responsabilidade e transferência de direito autoral à REBECIN. Para tanto, faça o download do modelo da declaração acessando a URL: https://portal.abecin.org.br/rebecin/

Obs.: Após ler e assinar envie o arquivo digitalizado junto com a submissão.