Preservação e conservação dos prontuários do serviço de arquivo médico e estatística do Hospital Universitário Professor Alberto Antunes
Fonte da capa: Freepik  Design: André Nunes de Azevedo
PDF

Palavras-chave

Arquivo de Instituições de Saúde. Digitalização de Prontuário. Gestão Documental. Prontuário do Paciente

Como Citar

Santos, M. A. V. dos, Mota, F. R. L., & Araujo, N. C. de. (2020). Preservação e conservação dos prontuários do serviço de arquivo médico e estatística do Hospital Universitário Professor Alberto Antunes. Revista Brasileira De Educação Em Ciência Da Informação, 7(especial), 4-23. https://doi.org/10.24208/rebecin.v7iespecial.184

Resumo

A Gestão Documental, juntamente com medidas de preservação e conservação, minimiza tempo e espaço, agiliza a recuperação da informação e reflete diretamente no processo de tomada de decisão dos gestores de toda e qualquer instituição. Este artigo buscou estudar a gestão da informação e os mecanismos de preservação e conservação dos prontuários do Serviço de Arquivo Médico e Estatística (SAME), do Hospital Universitário Professor Alberto Antunes da Universidade Federal de Alagoas (UFAL), com vistas a salvaguardar a memória institucional. A metodologia utilizada foi exploratória, com abordagem qualitativa e uma extensa pesquisa bibliográfica. A análise dos dados aponta para: a necessidade de maiores esforços no sentido de prover infraestrutura tecnológica adequada para o processo de Gestão Eletrônica de Documentos; importante atuação de docentes e discentes do Curso de Biblioteconomia e; interesse da instituição em relação à preservação e conservação dos prontuários guardados pelo SAME/HUPAA/UFAL

https://doi.org/10.24208/rebecin.v7iespecial.184
PDF

Referências

BRASIL. Lei n 8.159, de 08 de janeiro de 1991. Diário Oficial da União, Brasília, 2004. Disponível em: http://www.arquivonacional.gov.br/conarq/leis/leg_arq.html. Acesso em: 23 out. 2018.

CAMARGO, A. M. A.; BELLOTTO, H. L. Dicionário de terminologia arquivística. São Paulo: AAB,1996.

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA. Resolução nº 1.246, de 08 de janeiro de 1988. Código de ética médica. Disponível em http://www.portalmedico.org.br/resolucoes/cfm/1988/1246_1988.htm. Acesso em: 25 ago. 2019.

CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS - CONARQ (Brasil). Câmara Técnica de documentos eletrônicos. Modelo de requisitos para sistemas informatizados de gestão arquivística de documentos - eArq. 2011. Disponível em: http://www.documentoseletronicos.arquivonacional.gov.br/media/e-arq-brasil-2011-corrigido,pdf. Acesso em: 23 out. 2018.

CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS – CONARQ (Brasil). Recomendações para Digitalização de Documentos Arquivísticos Permanentes. Rio de Janeiro, 2010. 27p. Disponível em: http://www.conarq.arquivonacional.gov.br/media/publicacoes/recomendaes_para_a_digitalizao.pdf. Acesso em: 25 ago. 2019.

CUNHA, M. B.; CAVALCANTE, C. R. O. Dicionário de Biblioteconomia e Arquivologia. Brasília: Briquet de Lemos Livros, 2008.

FONSECA, M. O. K. Arquivologia e Ciência da Informação. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2005.

FRANÇA, P. Z. P. Reestruturação do serviço de arquivo médico e estatística do centro municipal de referência em saúde Leonard Mozart da prefeitura municipal de Cabedelo. 2104. 58f. Monografia (Graduação) – Universidade Federal da Paraíba, Centro de Ciências Sociais Aplicadas, João Pessoa, 2014. Disponível em: http://www. https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/1185. Acesso em: 23 ago. 2019.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. Fundamentos de metodologia científica. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2010. 297 p.

MANUAL DE CONSERVAÇÃO DE DOCUMENTOS: papel e filme / texto Dione Seripierrin ... [et al.]. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2005.

MOTA, F. R. L. Nota técnica: descarte de documentos do HUPAA/UFAL/EBSERH. Maceió: Hospital Universitário Professor Alberto Antunes, 2018.

MOTA, F. R. L; PEREIRA, E. M. S. Tratamento e organização dos prontuários de pacientes do HUPAA/UFAL/EBSERH. Maceió: Hospital Universitário Professor Alberto Antunes, 2018.

MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 12. ed. São Paulo: Hucitec, 2010.

PAES, M. L. Arquivo: teoria e prática. 3. ed. Rio de Janeiro: FGV, 2004.

SANTOS, N. M.; FREIXO, A. L. A gestão do prontuário do paciente com ênfase na atuação da comissão de revisão de prontuários. In: SIMPÓSIO BAIANO DE ARQUIVOLOGIA, 3., 2011, Salvador. Anais[...] Salvador, 2011. p.1 - 12.

SEVERINO, A. J. Metodologia do trabalho científico. 23. ed. São Paulo: Editora Cortez, 2007.

ZÚÑIGA, S. S. G. A importância de um programa de preservação em arquivos públicos e privados. Registro: Revista do Arquivo Público Municipal de Indaiatuba, Indaiatuba, Ano 1, v. 1, n. 1, p. 71-89, 2002.

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.