Competências digitais e informacionais: estudo com acadêmicos dos mestrados profissionais de uma instituição federal de ensino superior
PDF

Palavras-chave

Mestrado Profissional
Competência Digital
Competência em Informação
Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação.

Como Citar

SAVEGNAGO, C. L.; ALMEIDA, A. S. de; MARQUEZAN, L. I. P. Competências digitais e informacionais: estudo com acadêmicos dos mestrados profissionais de uma instituição federal de ensino superior. Revista Brasileira de Educação em Ciência da Informação, São Cristovão, v. 6, n. 1, p. 22–39, 2019. Disponível em: https://portal.abecin.org.br/rebecin/article/view/144. Acesso em: 27 set. 2022.

Resumo

As tecnologias digitais e informacionais constituem-se em ferramentas de grande valia para a pesquisa acadêmica, contanto que seus usuários tenham fluência informacional e tecnológica para desenvolver práticas que contemplem o viés científico-tecnológico. Nessa perspectiva, este estudo objetivou verificar as competências digitais e informacionais dos acadêmicos de todos os cursos em nível de mestrado profissional da Universidade Federal de Santa Maria. O estudo teve uma abordagem qualiquatitativa e abrangeu uma amostra de 117 acadêmicos, compreendendo oito mestrados profissionais. Os resultados evidenciaram que todos os acadêmicos consideram que saber utilizar o computador e a Internet pode influenciar na realização de suas pesquisas acadêmicas. Os recursos tecnológicos que os pós-graduandos afirmaram ter muita dificuldade para utilização ou desconhecer foram os gestores de referência e criação de blogs/páginas na Internet. A maioria respondeu ter alguma dificuldade para utilizar as bases de dados e os catálogos online de bibliotecas, entretanto, recursos como e-mail, redes sociais, grupos, listas de discussões, fóruns e instalação de software, aplicativos, ferramentas, navegadores, representam os recursos que a maioria não tem nenhuma dificuldade para utilizá-los. Com base nesses resultados, constatou-se que as maiores dificuldades apresentadas pelos acadêmicos estão relacionadas aos recursos considerados relevantes para a elaboração de pesquisas acadêmicas, o que evidencia a necessidade do fortalecimento de programas destinados ao desenvolvimento de competências digitais e informacionais no âmbito da instituição.

PDF

Referências

ALVES, Ana Paula Meneses. Competência informacional e o uso ético da informação na produção científica: o papel do bibliotecário na produção intelectual no ambiente acadêmico. 2016. 287f. Tese (Doutorado em Ciência da Informação da Faculdade de Filosofia e Ciências, Doutorado em Ciências Sociais da Universidade de Granada) - Universidade Estadual Paulista, Brasil; Universidad de Granada, Espanha, 2016. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/handle/11449/143419. Acesso em: 13 abr. 2019.

BARROS, Elionara Cavalcanti de; VALENTIM, Márcia Cristina; MELO, Maria Amélia Aragão O debate sobre o mestrado profissional na Capes: trajetória e definições. Revista Brasileira de Pós-Graduação, Brasília, v.2, n.4, p.124-138, jul. 2005. Disponível em: http://ojs.rbpg.capes.gov.br/index.php/rbpg/article/view/84. Acesso em: 6 abr. 2019.

BRASIL. Parecer n. 977, de 03 de dezembro de 1965. Conceitos de Pós-Graduação, Mestrado e Doutorado; aconselha jornada de 360 a 450 horas anuais de atividades coletivas; autorização específica para os cursos stricto sensu. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). Disponível em: http://www.capes.gov.br/images/stories/download/legislacao/Parecer_CESU_977_1965.pdf. Acesso em: 2 abr. 2019.

BRASIL. Portaria n. 47, de 17 de outubro de 1995. Procedimentos apropriados à

recomendação, acompanhamento e avaliação de cursos de mestrado dirigidos à

formação profissional. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). Disponível em: http://ojs.rbpg.capes.gov.br/index.php/rbpg/article/view/87/83. Acesso em: 2 abr. 2019.

BRASIL. Portaria nº 80, de 16 de dezembro de 1998. Dispõe sobre o reconhecimento dos mestrados profissionais e dá outras providências. Ministério da Educação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). Brasília, 1998. Disponível em: https://capes.gov.br/images/stories/download/avaliacao/avaliacao-n/1892015-Portaria-CAPES-080-1998.pdf. Acesso em: 2 abr. 2019.

BRASIL. Portaria nº 07, de 22 de junho de 2009. Dispõe sobre o mestrado profissional no âmbito da CAPES. Ministério da Educação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). Brasília, 2009a. Disponível em: https://www.capes.gov.br/images/stories/download/legislacao/Revogada-Portaria-Normativa-n_7-22-de-junho-2009-Mestrado-Profissional.pdf. Acesso em: 3 abr. 2019.

BRASIL. Portaria nº 17, de 28 de dezembro de 2009. Dispõe sobre o mestrado profissional no âmbito da CAPES. Ministério da Educação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). Brasília, 2009b. Disponível em: https://capes.gov.br/images/stories/download/legislacao/16112018_PortariaNormativa_n%C2%BA17.pdf>. Acesso em: 3 abr. 2019.

BRASIL. Portaria nº 131, de 28 de junho de 2017. Dispõe sobre o mestrado e o doutorado profissionais. Ministério da Educação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). Brasília, 2017a. Disponível em: http://www.capes.gov.br/images/stories/download/legislacao/30062017-portaria-131-2017.pdf. Acesso em: 2 abr. 2019.

BRASIL . Portaria nº 389, de 23 de março de 2017. Dispõe sobre o mestrado e doutorado profissional no âmbito da pós-graduação stricto sensu. Ministério da Educação. Brasília, 2017b. Disponível em: http://www.capes.gov.br/images/stories/download/legislacao/24032017-PORTARIA-No-389-DE-23-DE-MARCO-DE-2017.pdf. Acesso em: 2 abr. 2019.

CAREGNATO, Sônia Elisa. O desenvolvimento de habilidades informacionais: o papel das bibliotecas universitárias no contexto da informação digital em rede. Revista de Biblioteconomia & Comunicação, Porto Alegre, v.8, p.47-55, jan./dez. 2000. Disponível em: http://eprints.rclis.org/11663/. Acesso em: 12 abr. 2019.

CAVALCANTE, Lídia Eugenia. Políticas de Formação para a competência

informacional: o papel das universidades. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação: Nova Série, São Paulo, v.2, n.2, p.47-62, dez. 2006. Disponível em: https://rbbd.febab.org.br/rbbd/article/view/17. Acesso em: 13 abr. 2019.

COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR. Avaliação da CAPES aponta crescimento da pós-graduação brasileira. Brasília, 2017. Disponível em: http://www.capes.gov.br/sala-de-imprensa/noticias/8558-avaliacao-da-capes-aponta-crescimento-da-pos-graduacao-brasileira. Acesso em: 3 maio 2019.

COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR. Mulheres permanecem como maioria na pós-graduação brasileira. Brasília, 2018 .Disponível em: https://www.capes.gov.br/pt/sala-de-imprensa/noticias/8787-mulheres-permanecem-como-maioria-na-pos-graduacao-brasileira. Acesso em: 14 jun. 2019.

FISCHER, Tânia. Mestrado profissional como prática acadêmica. Revista Brasileira de Pós-Graduação, Brasília, v.2, n.4, p.24-29, jul. 2005. Disponível em: http://ojs.rbpg.capes.gov.br/index.php/rbpg/article/view/74. Acesso em: 7 abr. 2019.

GASQUE, Kelley Cristina Gonçalves Dias. Letramento informacional: pesquisa, reflexão e aprendizagem. Brasília: Faculdade de Ciência da Informação/Universidade de Brasília, 2012. E-book. Disponível em: http://leunb.bce.unb.br/bitstream/handle/123456789/22/Letramento_Informacional.pdf?seque nce=3 . Acesso em: 5 abr. 2019.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4 ed. São Paulo: Atlas. 2002.

GODINHO, Natalia; GONÇALVES, Renata Braz; ALMEIDA, Alex Serrano de. Competências digitais e informacionais no ensino superior: um estudo com acadêmicos na Universidade Federal do Rio Grande – FURG. Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, São Paulo, v.13, n.2, p.437-454, maio/ago. 2015. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rdbci/article/view/8635591. Acesso em: 10 abr. 2019.

INTERNATIONAL FEDERATION OF LIBRARY ASSOCIATIONS AND INSTITUTIONS. IFLA Statement on digital literacy. 2017. Disponível em: https://www.ifla.org/publications/node/11586. Acesso em: 10 abr. 2019.

LÜDKE, Menga; ANDRÉ, Marli Eliza Dalmazo Afonso de. Pesquisa em Educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MOROSINI, Marília Costa; FERNANDES, Cleoni Maria Barboza. Estado do Conhecimento: conceitos, finalidades e interlocuções. Educação por Escrito, Porto Alegre, v.5, n.2, p.154-164, jul./dez. 2014. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/porescrito/article/view/18875/12399. Acesso em: 1 jun. 2019.

NEVES, Abilio Afonso Baeta. Metas da atual gestão. Infocapes, Brasília, v.3, n.1-2, p.14-18, jan./jun., 1995. Disponível em: http://www.capes.gov.br/images/stories/download/bolsas/INF1E295.pdf. Acesso em: 1. abr. 2019.

OLIVEIRA, João Ferreira de. A Pós-Graduação e a pesquisa no Brasil: processos de regulação e de reconfiguração da formação e da produção do trabalho acadêmico. Práxis Educativa, Ponta Grossa, v.10, n.2, 2015. Disponível em: http://revistas2.uepg.br/ojs_new/index.php/praxiseducativa. Acesso em: 3 maio 2019.

QUELHAS, Osvaldo Luis Gonçalves; FARIA FILHO, José Rodrigues; FRANÇA, Sérgio Luiz Braga. O mestrado profissional no contexto do sistema de pós-graduação brasileiro. Revista Brasileira de Pós-Graduação, v.2, n.4, p.97-104, 2005. Disponível em: http://ojs.rbpg.capes.gov.br/index.php/rbpg/article/view/82. Acesso em: 4 abr. 2019.

RIBEIRO, Renato Janine. O mestrado profissional na política atual da Capes. Revista

Brasileira de Pós-Graduação, v.2, n.4, p.8-15, 2005. Disponível em: http://ojs.rbpg.capes.gov.br/index.php/rbpg/article/view/72/69. Acesso em: 30 mar. 2019.

SANTOS, Francisco Edvander Pires; LIMA, Juliana Soares; SANTOS, Izabel Lima dos. Gerenciadores e construtores de referências: um relato das ações desenvolvidas por bibliotecas universitárias. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE BIBLIOTECONOMIA E DOCUMENTAÇÃO, 27., 2017, Fortaleza. Anais eletrônicos... Fortaleza: FEBAB, 2017. Disponível em: https://www.portal.febab.org.br/anais/article/view/1817/1818. Acesso em: 16 jun. 2019.

YAMAKAWA, Eduardo Kazumi et al. Comparativo dos softwares de gerenciamento de referências bibliográficas: Mendeley, EndNote e Zotero. Transinformação, Campinas, v.26, n.2, 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tinf/v26n2/0103-3786-tinf-26-02-00167.pdf. Acesso em: 16 jun. 2019.

ZURKOWSKI, Paul. The information service environment: Relationships and priorities. Washington: National Commission on Libraries and Information Science, 1974. (Report ED 100391).

A ABECIN detém os direitos autorais dos trabalhos que publica, adotando as licenças do Creative Commons, exceto quando houver indicação específica de outros detentores de direitos autorais. Em caso de dúvidas, solicitamos consultar o Editor da REBECIN. Por meio dessa licença, o(s) autor(es) tem/têm a liberdade de compartilhar — copiar, distribuir e transmitir a obra, sob as seguintes condições:

a) atribuição — você deve creditar a obra da forma especificada pelo(s) autor(es) ou licenciante (mas não de maneira que sugira que estes concedem qualquer aval a você ou ao seu uso da obra).

b) uso não-comercial — você não pode usar esta obra para fins comerciais.

c) vedada à criação de obras derivadas — você não pode alterar, transformar ou criar em cima desta obra.

Evidencia-se que:

a) renúncia — qualquer das condições acima pode ser renunciada se obtiver permissão do titular dos direitos autorais.

b) domínio público — onde a obra ou qualquer de seus elementos estiver em domínio público sob o direito aplicável, esta condição não é, de maneira alguma, afetada pela licença.

c) outros direitos — os seguintes direitos não são, de maneira alguma, afetados pela licença:

- Limitações e exceções aos direitos autorais ou quaisquer usos livres aplicáveis;

- Os direitos morais do(s) autor(es);

- Direitos que outras pessoas podem ter sobre a obra ou sobre a utilização da obra, tais como direitos de imagem ou privacidade.

O(s) autor(es) submeteu(ram) a declaração de responsabilidade e transferência de direito autoral à REBECIN. Para tanto, faça o download do modelo da declaração acessando a URL: https://portal.abecin.org.br/rebecin/

Obs.: Após ler e assinar envie o arquivo digitalizado junto com a submissão.