O uso de documentários como ferramenta didática no ensino de Biblioteconomia
PDF

Palavras-chave

Cinema–Gênero Documentário
Processo Ensino-Aprendizagem
Documentário como Ferramenta Educacional
Ensino de Biblioteconomia e Ciência da Informação
Metodologia de Ensino.

Como Citar

BATISTA, D. F.; NUNES, J. V. O uso de documentários como ferramenta didática no ensino de Biblioteconomia. Revista Brasileira de Educação em Ciência da Informação, São Cristovão, v. 5, n. 2, p. 47–62, 2018. Disponível em: https://portal.abecin.org.br/rebecin/article/view/110. Acesso em: 27 set. 2022.

Resumo

Visa apresentar o ponto de vista de professores e alunos acerca do uso dos documentários como ferramenta didática no processo ensino-aprendizagem nas disciplinas de Cultura e Mídia; Informação e Sociedade; e Teorias da Informação e da Comunicação do curso de Biblioteconomia da Universidade Federal do Ceará. Aborda o nascimento do cinema, correlacionando-o à história mundial e a aspectos sociais e culturais da sociedade. Apresenta o surgimento dos gêneros cinematográficos a partir das expressões culturais e vanguardas europeias, relacionando-as com o desenvolvimento da linguagem cinematográfica. Relaciona o cinema, mais especificamente o gênero documentário, com a educação. Conceitua gênero documentário e apresenta os novos tipos de documentários que estão sendo desenvolvidos a partir das novas tecnologias e da internet. Quanto à metodologia, recorre à pesquisa descritiva de cunho qualitativo que, através da análise de conteúdo aplicada em dados coletados por meio da aplicação de questionários aos alunos e realização de entrevista com professores das disciplinas mencionadas, constatando que tanto professores como alunos avaliam os documentários como uma ferramenta proveitosa ao processo ensino-aprendizagem e que, embora precise de alguns ajustes, são dotadas de resultados positivos quando aliados aos textos e debates em sala de aula.

PDF

Referências

ALMEIDA, Milton José de. A educação visual na televisão vista como educação cultural, política e estética. ETD: Educação Temática Digital, Campinas (SP), v.1, n.4, p.1-6, out. 2000. Disponível em: <https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/567/582>. Acesso em: 10 set. 2017.

ARAÚJO, Inácio. Cinema: o mundo em movimento. São Paulo: Scipione, 1995.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BENTES, Ivana. O audiovisual e o documentário na cena contemporânea. Debate: Cinema Documentário e Educação, v.23, n.11, jun. 2008.

BERNARDET, Jean-Claude. O que é cinema. São Paulo: Brasiliense, 1984.

BLOOM, B. S. et al. Taxonomy of educational objectives. New York: David Mckay, 1956.

CÁNEPA, Laura Loguercio. Expressionismo alemão. In: MASCARELLO, Fernando (Org.). História do cinema mundial. Campinas (SP): Papirus, 2006.

COSTA, Flávia Cesarino. Primeiro cinema. In: MASCARELLO, Fernando (Org.). História do cinema mundial. Campinas (SP): Papirus, 2006.

DUARTE, Rosália. Cinema & educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2002.

EITZEN, Dirk. When is a Documentary? Documentary as a mode of reception. Cinema Journal, v.35, n.1, p.81-102, Autumn 1995. Disponível em: <http://www.columbia.edu/itc/film/gaines/documentary_tradition/Eitzen.pdf>. Acesso em: 10 set. 2017.

FREITAS, Enio de. História e cinema: encontro de conhecimento na sala de aula. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2012.

MARTIN, Marcel. A linguagem cinematográfica. Lisboa: Dinalivro, 2005.

MINAYO, Maria Cecília de Souza (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 21.ed. Petrópolis (RJ): Vozes, 2002.

MORAN, J. M. O vídeo na sala de aula. Comunicacão e Educacão, São Paulo, v.2, p.27-35, jan./abr. 1995. Disponível em: <http://www.revistas.usp.br/comueduc/article/view/36131/38851>. Acesso em: 29 jun. 2017.

MORIN, Edgar. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003.

NAPOLITANO, Marcos. Como usar o cinema em sala de aula. São Paulo: Contexto, 2010.

PENAFRIA, Manuela. Perspectiva de desenvolvimento para o documentarismo (1999). [s.n.t]. Disponível em: <http://www.bocc.ubi.pt/pag/penafria-perspectivas-documentarismo.pdf>. Acesso em: 2 nov. 2017.

SACRINI, Marcelo. Perspectivas do gênero documentário pela apropriação de elementos de linguagem da TV digital interativa. ETD: Educação Temática Digital, Campinas (SP), v.5, n.2, p.7-22, jun. 2004. Disponível em: <https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/758/773>. Acesso em: 2 nov. 2017.

A ABECIN detém os direitos autorais dos trabalhos que publica, adotando as licenças do Creative Commons, exceto quando houver indicação específica de outros detentores de direitos autorais. Em caso de dúvidas, solicitamos consultar o Editor da REBECIN. Por meio dessa licença, o(s) autor(es) tem/têm a liberdade de compartilhar — copiar, distribuir e transmitir a obra, sob as seguintes condições:

a) atribuição — você deve creditar a obra da forma especificada pelo(s) autor(es) ou licenciante (mas não de maneira que sugira que estes concedem qualquer aval a você ou ao seu uso da obra).

b) uso não-comercial — você não pode usar esta obra para fins comerciais.

c) vedada à criação de obras derivadas — você não pode alterar, transformar ou criar em cima desta obra.

Evidencia-se que:

a) renúncia — qualquer das condições acima pode ser renunciada se obtiver permissão do titular dos direitos autorais.

b) domínio público — onde a obra ou qualquer de seus elementos estiver em domínio público sob o direito aplicável, esta condição não é, de maneira alguma, afetada pela licença.

c) outros direitos — os seguintes direitos não são, de maneira alguma, afetados pela licença:

- Limitações e exceções aos direitos autorais ou quaisquer usos livres aplicáveis;

- Os direitos morais do(s) autor(es);

- Direitos que outras pessoas podem ter sobre a obra ou sobre a utilização da obra, tais como direitos de imagem ou privacidade.

O(s) autor(es) submeteu(ram) a declaração de responsabilidade e transferência de direito autoral à REBECIN. Para tanto, faça o download do modelo da declaração acessando a URL: https://portal.abecin.org.br/rebecin/

Obs.: Após ler e assinar envie o arquivo digitalizado junto com a submissão.